Professores

GuajiraDeaANDREA FRANCO

Iniciou seus estudos de Flamenco em 1990, com o Professor Robinson Gambarra e em 1991 firmaram sociedade e fundaram o TABLADO ANDALUZ / Escola de Dança, que foi a 1ªescola de dança flamenca registrada no Brasil. Desde então segue seu trabalho como bailaora, professora e produtora de Flamenco. Possui diversos Cursos de especialização em flamenco com maestros espanhóis no Brasil, na Argentina e na Espanha, entre os mais destacados podemos citar; Maria Magdalena (foi Diretora do Ballet Nacional de Espanha), Adrian Galia (Diretor da Cia Antonio Gades), Belen Fernandez, Belen Maya, Yolanda Heredia, El Güito, Manuel Liñan, Carmen La Talegona, Alfonso Losa, Carmen Gonzales, e Inmaculada Ortega. Como produtora artística inaugurou os palcos do RS com montagens de Flamenco feitas por gaúchos em 1994, com o Espetáculo NOCHES FLAMENCAS, e desde então segue produzindo espetáculos e festivais com artistas nacionais e internacionais, vale citar; Espetáculo PICASSO (1995/96), foi o primeiro espetáculo flamenco a receber o reconhecimento  da critica especializada e indicações ao Prêmio Açoriano de Dança. Realizou o  I ENCUENTRO FLAMENCO,  que reuniu pela primeira vez em Porto Alegre artistas do Conesul. Atualmente é diretora e proprietária do TABLADO ANDALUZ / Bar Flamenco, o único “Tablao” (Bar Flamenco do Brasil) sua fundação consolida Porto Alegre como importante polo produtor de arte flamenca, reconhecido internacionalmente.

 

PedorPB2PEDRO FERNANDEZ

Sua formação flamenca, desde a infância, está vinculada a sua vivencia no Tablado Andaluz, onde foi criado. Aos 10 anos de idade viajou para Madrid a fim de estudar flamenco no Centro Amor de Dios, nesta ocasião recebeu bolsa de estudo, como incentivo ao desenvolvimento de sua correira e em reconhecimento pelo seu grande sentido rítmico, talento e maturidade na arte flamenca, das seguintes maestras: Maria Magdalena (Ex Diretora do Ballet Nacional de España), La China e Belén Fernández. Morou em Madrid e Sevilla nos anos de 2008 e 2009, onde estudou com grandes maestros de flamenco, entre eles; David Paniagua, Carmen La Talegona, El Torombo, Jose Maya e Alfonso Losa. Atualmente é o diretor musical do Tablado Andaluz e desenvolve carreira solo como bailaor. Seu trabalho tem reconhecimento entre artistas flamencos internacionais, participou de espetáculos como solista convidado ao lado de grandes nome do flamenco; Miri Galeano(Paraguai), Miguel Alonso (Cuba), Carmen La Talegona (Espanha), Nino de lós Reyes (Espanha), Pepa Molina (Espanha), Alfonso Losa (Espanha) e David Paniagua(Espanha). Em 2009 fundou a Banda Flamecura, onde atua como diretor musical e vocalista. A Banda trouxe a Porto Alegre o oxigenio do jovem Flamenco, renovador e agrega o público de todas as idades. No seu novo repertório e formato Flamencura apresenta a fusão de sons flamencos de raíz, com rítmos latinos como a salsa, MPB e o Jazz.

 

 

LuanaPainelCortadaLUANA JACOCIUNAS

Luana Jacociunas iniciou seus estudos de flamenco com 8 anos e em 2008 participou do concurso Porto Alegre em Dança, conquistando o primeiro lugar com seu solo. Iniciou seus aperfeiçoamentos na dança, em 2009, com os professores Robinson Gambarra, Andrea Franco e Pedro Fernandez, na escola Tablado Andaluz, onde foi convidada a integrar-se na companhia de baile. Ali começou seus cursos com maestros espanhóis como Carmen La Talegona, Manuel Liñan e Belén Fernandez. Em 2013 passou uma temporada de 6 meses na Espanha para sua profissionalização. Em Madrid, ficou 5 meses, na Escola Amor de Dios, onde primeiramente participou do Ciclo Dedicado a la Formacion Completa del Baile Flamenco, aperfeiçoando técnicas com elementos como bata de cola, abanico, mantón e castanholas além de estudos de interpretação no baile flamenco e ballet clássico, com maestros como La Truco, Pedro Córdoba, Carmela Greco, Nuria Truco e Marina Claudio. Estudou com grandes maestros como Belén Fernandez, Alfonso Losa, Pepa Molina, Miguel Cañas, Marco Flores, Carmen La Talegona, Inmaculada Ortega, Nino de los Reyes,entre outros. Foi convidada pela bailaora Yara Castro, brasileira que reside em Madrid, a participar do seu projeto Flamenco Sin Fronteras. Em Sevilla estudou com maestros como Juana Amaya, Nazaret Reyes, Farruquito, La Farruca entre outros. Hoje dá aulas na escola Tablado Andaluz e particulares, baila na companhia da escola e no tablao do bar e restaurante Tablado Andaluz

 

GraziPainelCortada

GRAZIELA SILVEIRA

Graziela Silveira começou seus estudos de flamenco na Escola de Dança Tablado Andaluz em Porto Alegre em 2003. Desde 2006 é também professora da escola e atua nos shows da Cia de Dança Tablado Andaluz. Fez workshops com diversos nomes do flamenco internacional e nacional e frequentou as aulas regulares de Belén Fernandez (Espanha) em Porto Alegre. Esteve em Madri participando como aluna do II Ciclo de Formação Completa de Baile Flamenco em agosto de 2010. Na mesma época, atuou como bailaora no projeto Brasil Flamenco que ocorre no tablao ArteBar na capital espanhola. Neste evento, dividiu o palco com outros artistas flamencos brasileiros que moram ou estavam em Madri na época. Desde abril de 2010, dá aulas de dança flamenca na Escola La Tablada em Canoas onde desenvolve trabalho como professora, coreógrafa e bailarina. Em Canoas, realizou quatro edições do evento Peña Flamenca da Escola La Tablada reunindo artistas flamencos profissionais e amadores de Canoas e Porto Alegre. No mesmo município, participou da organização e produção da 2ª edição do evento em comemoração ao Dia Internacional da Dança realizado pela Prefeitura Municipal figurando entre os grupos convidados para a Gala da Dança que ocorreu em abril de 2014. É bailarina da Geda Cia de Dança Contemporânea. Foi indicada ao Prêmio Açorianos de Melhor Bailarina de 2011 pelo espetáculo Cem metros de valsa e um grama. Foi indicada ao Prêmio Açorianos de Destaque em Flamenco de 2014 por sua atuação como bailaora, professora e incentivadora do flamenco. Graziela Silveira é jornalista graduada pela Unisinos em 2002, Tecnóloga em Dança graduada pela Ulbra em 2006 e formada em ballet clássico pela Fundação Cultural de Canoas em 1999.